Coletadas 18 toneladas de lixo em reserva ambiental

11.07.2005

Uma ampla operação de limpeza iniciada na manhã desta quinta-feira (7), nas ladeiras de acesso ao bairro do Rangel, retirou 18 toneladas de lixo que estavam prejudicando os moradores do local e poluindo a Mata do Buraquinho, área de preservação ambiental.

O trabalho começou às 7h da manhã, quando parte da pista foi obstruída por agentes da STTrans que controlaram o trânsito. Os 45 agentes de limpeza da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) se dividiram nos serviços de capinação, roço e varrição. Uma enchedeira também foi utilizada para a retirada do lixo acumulado às margens da Mata do Buraquinho.

Foi uma operação intensiva de limpeza que começou com a retirada do lixo acumulado ao lado da Igreja de São Francisco, continuou pela rua São Geraldo e nas principais avenidas do bairro. Algumas áreas onde o mato estava alto também foram roçadas e capinadas.

A dona-de-casa Antônia Alexandrina, uma das primeiras moradoras do local, lembrou que antigamente as pessoas respeitavam a Mata do Buraquinho e não jogavam lixo nela. “Moro há 52 aqui e fico inconformada em ver pessoas de comunidades próximas jogarem todo tipo de lixo às margens da mata, principalmente sabendo que o caminhão do lixo passa três vezes por semana”, lamentou.

Edilson Fernandes, que mora na rua São Geraldo há 30 anos, elogiou o trabalho desenvolvido pela Emlur, mas pediu colaboração da comunidade para não jogar lixo às margens da área de preservação ambiental.

Ele cobra das autoridades mais atenção com a Mata do Buraquinho. “Como os muros que protegem a área foram derrubados, o local virou ponto de encontro de consumidores de drogas e delinqüentes. É preciso uma maior atenção dos órgãos de segurança e de meio ambiente”, cobrou.