Projeto filma cotidiano dos moradores do Bairro São José

07.08.2007

Por: Aline Oliveira e Emilyn Correia

Um programa de TV que vai mostrar personalidades da comunidade de bairros populares de João Pessoa, trabalhos sociais e festas que fazem parte do cotidiano da população. Esta é a proposta que começou a ser gravada na última sexta-feira, dia 3, como parte do programa “Uma Esquina na Cidade”, do Ponto de Cultura Parai´wa, coordenado pelo aluno do Curso de Formação de Juristas Populares, Saullo Farias.

A equipe deste projeto conta com a participação de cerca de 20 pessoas, entre eles agentes do projeto Cultura Viva que estão diretamente trabalhando como roteiristas, cinegrafistas, produtores, pauteiros, apresentadores e assistentes de câmera e direção.

Inicialmente, serão produzidos cinco programas pilotos com uma hora de duração divididos em quatro blocos, com entrevistas, debates, curiosidades e reportagens especiais sobre o bairro visitado. Neste primeiro programa o bairro São José é o destaque, levando ao ar um roteiro mostrando os projetos realizados na comunidade como a arte em grafite, movimento Hip Hop, oficina de bonecos, produção teatral, o trabalho do MAM, banco comunitário e também sobre o reconhecimento da cultura da Ala Ursa no bairro São José.

De acordo com Mirtes Anjos, agente do projeto Cultura Viva e também apresentadora do programa, essa é uma experiência importante e nova. “Nunca fiz nada parecido, estou aprendendo muito. No começo foi difícil, mas agora está sendo produtivo e divertido”, destacou.

Assim como nos outros projetos do Ponto Cultura PARA’IWA – MULTIVISUAL NET, a proposta do “Uma Esquina na Cidade” é popularizar a produção audiovisual, seguindo sempre o objetivo de levar às comunidades uma forma de socializar as ferramentas de informação e multimídia.

Para cada programa são realizados antecipadamente trabalhos de identificação e articulação nas comunidades, para que a pauta do programa realmente mostre o que é o bairro através de suas manifestações. Segundo Saullo Farias, os próprios moradores do bairro irão escolher o que querem ver no programa, ou seja, “o bairro vai conversar com o próprio bairro”, enfatizou. O programa pretende ser exibido inicialmente apenas em TVs públicas da Paraíba e do Brasil.