Comunidade Unida está cada vez mais organizada para produzir

19.11.2010

Interessados na capacitação escutam orientações do SEBRAE

Empreendedorismo. Esta é a palavra de ordem na Comunidade Unida desde que o projeto “Educação para a Saúde e o Meio Ambiente” da Fundação Margarida Maria Alves apresentou soluções para a geração de renda. As mulheres estão se organizando para produzir sabão ecológico e hortas orgânicas com o apoio do Sebrae.

Reinaldo Ferreira, Gustavo Castelo Branco e Ronaldo Maia orientam a comunidade

Na tarde de hoje (18), Ronaldo Maia e Reinaldo Ferreira, técnicos do Sebrae, visitaram a comunidade para descobrir quais serão as primeiras ações e identificaram, por exemplo, que os terrenos para a criação da horta, no quintal de duas casas, comportará apenas 25 canteiros de 5 metros. Para Reinaldo, é o suficiente para o consumo doméstico com pequeno excedente para venda.

Libânia e Tony mostram a logomarca do sabão que irão comercializar

A reunião, com a preseça de 10 pessoas, foi sobre a importancia da comunidade se organizar para receber a capacitação do Sebrae. Reinaldo citou exemplos de sucesso acompanhados por ele e Ronaldo sugeriu soluções caseiras para o corte adequado do sabão, por exemplo. A parte interessada da comunidade está, sim, organizada, conforme constatou Grestony, o único homem do grupo:  “Ontem eu fui ao Sebrae com Libânia e ela se cadastrou como pequena empreendedora. Temos até o CNPJ”.  Além disso, eles já bolaram a logomarca e como será a embalagem do sabão.

Reinaldo verifica o terreno da igreja local para a construção de outra horta

O próximo passo é tentar uma parceria com o Centro de Tecnologia da UFPB, promessa de Ronaldo. “O CT da UFPB vai poder nos dar uma dimensão bastante específica do que estamos querendo produzir aqui”, garante. O próximo encontro do Sebrae com o grupo deve acontecer ainda no mês de dezembro.