Nova ministra de Direitos Humanos enfoca o combate aos crimes virtuais como prioridade

02.04.2014

Foto: Márcio Garcez

Buscando uma intensificação no combate aos crimes virtuais, Ministra Ideli Salvatti assumiu na tarde desta terça-feira, 01 de abril, em Brasília, o Ministério de Direitos Humanos. Em seu primeiro pronunciamento na pasta, ela citou o recente caso de ameaça de estupro à jornalista Nana Queiroz, idealizadora da campanha “#EuNãoMereçoSerEstuprada“, e pediu pressa na conclusão da votação do Marco Civil da Internet.

Durante a solenidade, que contou com a participação das ministras da Secretaria de Igualdade Racial, Luiza Bairros, e da Secretaria de Política para as Mulheres, Eleonora Minicucci, Ideli agradeceu à Presidente da República, Dilma Rousseff, pela oportunidade de comandar a Secretaria de Relações Institucionais, bem como pela permanência no governo, desta vez à frente da SDH/PR. A Ministra destacou os desafios superados à frente da pasta, em especial no que tange à aprovação de matérias de interesse do governo no Congresso Nacional, e agradeceu o apoio recebido dos seus colegas de governo durante o período.

Ideli reafirmou o seu compromisso com as temáticas da área de Direitos Humanos e defendeu a importância da participação e aproximação com os movimentos sociais. “Destaco aqui o meu compromisso de manter um diálogo permanente com os movimentos sociais de Direitos Humanos. Sabemos o quanto são delicados e importantes temas como o compromisso pelo envelhecimento ativo, combate à exploração sexual de crianças e adolescentes, combate à tortura e promoção dos direitos da população em situação de rua”, afirmou.

Outro tema destacado em seu discurso foi a questão do direito à memória e à verdade. Ideli disse que considera simbólico assumir os Direitos Humanos justamente na data em que se lembra a passagem dos 50 anos do golpe militar. “Estou muito grata por ter a oportunidade de estar aqui neste momento e poder reafirmar a importância da democracia, para que a sociedade jamais se esqueça das violações aos direitos humanos ocorridas naquela época. Temos que reafirmar todos os dias: ditadura nunca mais”, defendeu.

Ao finalizar, a ministra citou o artigo 1º da Declaração Universal dos Direitos Humanos, ‘Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade’. “Esse deve ser nosso desafio diário”, declarou Ideli.

Fonte: Ascom/Secretária de Direitos Humanos