Fundação Margarida Maria Alves inicia Curso de Advocacy para Juristas Populares

08.03.2018

Começa neste sábado, 10, às 08h, na Rua Irineu Joffily, 185, Centro, João Pessoa, o primeiro Curso de Advocacy promovido pela Fundação Margarida Maria Alves. A atividade busca empoderar os Juristas Populares nessa metodologia e conta com a parceria da Concern Universal.

Segundo Marcelo Soares, Assessor de Comunicação da entidade, advocacy é um termo utilizado na atualidade como sinônimo de defesa e argumentação em favor de uma causa. Pensando na importância da pratica, a Fundação planejou o seu primeiro Curso com foco nos Juristas Populares que a entidade formou ao longo de quinze turmas do Curso de Formação de Juristas Populares.

Para compor os novos cursistas foi feita uma seleção pela entidade entre os mais de 350 Juristas Populares formados. Após analise, foram convidados/as Juristas de acordo com as organizações que representavam, resultando em um total de 25 cursistas escolhidos.

De acordo com Marcelo, “ao longo do tempo diversas organizações enviaram representantes para nosso curso de Juristas Populares, a partir de um levantamento de todas elas pudemos ter um panorama de quantos cursistas terminaram, quais entidades participaram e quais áreas temáticas e geográficas elas abrangem. Foi então que achamos que já era tempo de aprofundar esse conhecimento em algo que de uma forma ou outra eles já realizavam, a ideia é que após o curso saiam ainda mais capacitados e sabendo fazer de forma ainda melhor suas ações”.

Ele destaca que o processo de seleção foi feito em reuniões da equipe: “fomos vendo quais organizações achávamos mais interessantes para estarem no Curso de Advocacy, pensando sempre que esse curso tem como ideal promover ações diretas de incidência política nos campos de atuações dos Juristas. A partir desse olhar, as convidamos e ficamos felizes de termos tido um bom retorno delas”.

O que é advocacy?

Muitas vezes, a população enfrenta problemas recorrentes que poderiam ou mesmo deveriam ser solucionados pelo poder público. A ausência de políticas públicas que sanem essas necessidades pode existir por diversos motivos: o poder público não está ciente do problema; a questão não é considerada uma prioridade; não se conhece uma solução; não há orçamento suficiente para a área; não há vontade política, entre outros.

Cada um desses pontos pode ser modificado através da prática de advocacy, expondo os problemas e necessidades existentes na sociedade; mostrando, com dados, fontes confiáveis e relatos a importância do tema; sugerindo melhorias e soluções, a partir da pesquisa e colaboração com especialistas da área; buscando influir nos planejamentos orçamentários, comprovando a necessidade de expansão de recursos em determinada área; realizando pressão nas autoridades, formuladores de agenda e tomadores de decisão, para discussão e implementação das políticas públicas necessárias.

Em geral, utiliza-se o termo advocacy para descrever as ações de pressão realizadas por organizações da sociedade civil que representam determinada causa. Desse modo, é fundamental que a organização tenha legitimidade perante o grupo que pretende representar.

Desse modo, muito mais do que buscar a discussão, formulação ou implementação de políticas públicas realmente necessárias à população, o advocacy fortalece a democratização da própria sociedade ao ampliar a participação e representatividade de grupos muitas vezes excluídos dos processos políticos decisórios e assegurar que os direitos desses indivíduos sejam garantidos.

Para mais informações sobre o Curso e outras atividades entre em contato pelo telefone (83) 3221-3014 ou pelo e mail fundacao@fundacaomargaridaalves.org.br.

Com informações de: http://www.politize.com.br/advocacy-o-que-e