Curso de Formação de Juristas terá Oficina sobre Cidadania e Direitos Humanos amanhã (6)

05.11.2010

A primeira Oficina do Curso de Formação de Juristas Populares 2010 acontecerá amanhã (6), a partir das 8:30, e falará sobre Cidadania e Direitos Humanos. De acordo com Anna Izabella Chaves Alves, advogada responsável pelo Curso, estes são os primeiros assuntos abordados porque é a partir dos Direitos Humanos que se pauta a formação dos Juristas Populares:   “as oficinas dão uma base de cidadania, tentamos sistematizar estes conhecimentos com exemplos na vida prática, dando mais embasamento à essas pessoas”.  Para Izabella, como os (as) que procuram o Curso já são defensores (as) dos Direitos Humanos, é importante que eles (as) conheçam este assunto a fundo.

Por causa da confusão comum com as questões de defesa dos DH, procuramos colocá-lo transversalmente no aprendizado, afima Izabella.  “É preciso divulgar a  importancia, a diferenciação dos Direitos Humanos para os outros assuntos do Direito, desmistificar a visão comum. Tentamos ampliar o conhecimento dessas pessoas, que são vitimas da visão parcial, preconceituosa e errada dos Direitos Humanos”. Para ela, o mais importante é que se compreenda que esses direitos são para todos, não só bandidos.

A Oficina começa com a exibição do documentário “Juristas Populares, Construtores da Cidadania”, da jornalista Andréia Martins. O vídeo mostra como o Curso de Juristas funciona e algumas atividades da Rede de Juristas. Em seguida, teremos a participação do Professor José de Melo Neto, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), que dará noções sobre os Direitos Humanos, a importância de sua defesa e a evolução histórica.  A estagiária da Fundação, Kristina Hallman, irá apresentar seu depoimento sobre os Direitos Humanos na Alemanha, sua cidade natal.  Já a acadêmica de Direito e pesquisadora da Educação Popular, Renata Gambarra, falará sobre a esfera internacional do direito humano e como buscá-lo.

A Fundação acredita que é necessário conhecer a esfera internacional, onde muitas vezes os casos não resolvidos internamente são levados às cortes internacionais, como aconteceu com Margarida Maria Alves e, mais recentemente, com a iraniana Sakineh Ashtiani, condenada ao apedrejamento.

Na ocasião, os (as) interessados (as) em ingressar no Curso ainda poderão se inscrever.

Confira a programação completa da Oficina aqui: