Fundação Margarida Maria Alves lamenta falecimento de Dom José Maria Pires

28.08.2017

Faleceu neste domingo em Belo Horizonte o arcebispo emérito da Paraíba Dom José Maria Pires, ele tinha 98 anos e estava internado na capital por conta de complicações causadas por uma pneumonia. Nascido em 15 de março de 1919, no distrito de Córregos, Pires era conhecido como ‘Dom Pelé ou “Dom Zumbi”‘ e ficou à frente da Arquidiocese de 1966 a 1995. Ele era o bispo mais velho do Brasil e o primeiro bispo negro do país.

“A igreja perde, neste domingo em que comemoramos o Dia do Catequista, um grande pastor. Dom José foi um dos catequistas mais ativos e humildes à frente do seu rebanho, e que soube impor a sua voz, sempre que necessário, em defesa dos menos favorecidos”, disse em nota o arcebispo metropolitano da Paraíba, dom Manoel Delson.

Dom José Maria Pires tinha 70 anos de ordenação como padre e 60 como bispo. Como bispo, foi presidente da Comissão Episcopal do Nordeste 2, que reúne os estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas. Ele foi o quarto bispo da região metropolitana de João Pessoa e esteve à frente da Igreja Católica na Arquidiocese entre os anos de 1966 e 1995.

Filho de Eleutério Augusto Pires e Pedrelina Maria de Jesus, entrou para o seminário em Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, aos 12 anos. Foi ordenado sacerdote em 20 de dezembro de 1941, e recebeu a ordenação episcopal em 22 de setembro de 1957. Seu lema episcopal: Scientiam Salutis (A Ciência da Salvação).

Dom José também foi fundamental para a Fundação Margarida Maria Alves, por sua conta que a entidade foi criada em 1994 como aponta Marcelo Soares, Assessor de Comunicação: “Foi Dom José que instituiu a criação da Fundação como sucessora do antigo Centro de Defesa dos Direitos Humanos da Arquidiocese da Paraíba (CDDH). Ele que sugeriu a homenagem a líder camponesa Margarida Maria Alves como uma forma de mostrar que a entidade estava perto da população e seus problemas. Inclusive, demos o nome de uma das nossas salas em nossa sede de Sala Dom Zumbi em sua homenagem”.

“Estamos tristes com sua partida, mas, também, alegres em relembrar os bons momentos compartilhados com ele, sua força, determinação e preocupação com os desfavorecidos em nossa sociedade. Perdemos um grande homem, o céu ganha um grande anjo”, complementa.

O corpo de Dom José está sendo velado em Minas Gerais e será enterrado em João Pessoa nesta terça-feira (29) após a celebração da Missa de Exéquias, conhecida como missa dos fiéis defuntos, programada para começar às 16h na Basílica de Nossa Senhora das Neves. Seu corpo deve chegar na Paraíba no início da madrugada da terça-feira no Aeroporto Castro Pinto, em vôo previsto para chegar à 1h55. De lá, tem início um cortejo em carro aberto, com o corpo sendo levado em um carro dos Bombeiros até a Basílica, no Centro da capital.

“Cristo não ficou parado, nem ficou em casa deixando só para os discípulos as tarefas pastorais. Ele foi com eles nas sinagogas e nas aldeias, andou com eles a pé e de barco, anunciando o Reino. (…) Nós padres da terceira ou da quarta idade, somos aposentados só como inscritos na Previdência Social. Para nós, no entanto, não existe aposentadoria, a não ser no dia em que o Cristo nos chamar e disser: Vinde, benditos de meu Pai, possuir o Reino que vos está preparado desde o começo do mundo.”

(Dom José Maria Pires – Livro: O sacerdote, imagem de Cristo)

*Com informações do G1 Paraíba.