Campanha “Direitos humanos valem mais, não aos cortes sociais” promove rodas de conversas pelo país

25.04.2018

Promovida pela Coalizão Anti-austeridade e pela Revogação da Emenda Constitucional 95, a campanha “Direitos humanos valem mais, não aos cortes sociais” realiza desde o dia 07 de abril a mobilização 21 Dias de Ativismo, ação que busca promover rodas de conversas espalhadas pelo país sobre os cortes em programas sociais feitos pelo governo federal e em luta contras todos tipos de desigualdades.

Segundo os organizadores, “Milhões e milhões de pessoas estão sendo afetadas pela maior crise econômica que o Brasil já enfrentou em toda a sua história. Desemprego, fome e os cortes nas políticas públicas estão levando o país a um retrocesso, fazendo com que setores importantes da população voltem à miséria. Muitas famílias não estão conseguindo manter o mínimo para sobreviver. Medidas foram aprovadas no Congresso Nacional, como a emenda constitucional 95 que diminuiu o dinheiro para a saúde e educação pública e de outras políticas sociais por 20 anos, tornando inviável a garantia de vários direitos, penalizando ainda mais crianças, adolescentes, jovens, mulheres e idosos. Pensando em resistir e transformar tal cenário a Coalizão Anti-austeridade e pela Revogação da Emenda Constitucional 95 convida a todos a participar da nossa mobilização: convide sua família, seus amigos, vizinhos e colegas para conversar sobre como a crise está afetando suas vidas”.

O movimento indica o compartilhamento de fotos e mensagens nas redes sociais sobre as rodas de conversa realizadas através da hashtag #DireitosValemMais.

A Coalizão Anti-austeridade e pela Revogação da Emenda Constitucional 95 é uma articulação ampla de entidade, redes e movimentos sociais comprometidos com a defesa e a promoção dos direitos humanos no país, que tem por objetivo promover o debate público e somar forças em prol da revogação da Emenda Constitucional 95 e pelo fim da política econômica de austeridade.

Acesse e baixe o folder da campanha nesse link: https://bit.ly/2JplyBe

O material também é indicado como conteúdo de referência para sensibilização e mobilização de grupos. Para mais informações consulte o site da Campanha: http://direitosvalemmais.org.br

Para participar da iniciativa, basta enviar e-mail manifestando interesse para secretaria@plataformadh.org.br. Confira a lista das entidades que já fazem parte dessa mobilização:

– ABGLT- Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais
– Ação Educativa, Assessoria, Pesquisa e Informação
– AMB – Articulação de Mulheres Brasileiras
– AMNB – Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras
– ANCED – Associação Nacional dos Centros de Defesa da Criança e do Adolescente
– APOGLBT – Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo
– Articulação para o Monitoramento dos Direitos Humanos no Brasil
– Associação Brasil Saúde e Ação – BRASA
– Associação Brasileira de Economia da Saúde – ABRES
– Associação Brasileira de Saúde Mental – ABRASME
– Auditoria Cidadã da Dívida
– Brigadas Populares
– Campanha Nacional pelo Direito à Educação
– CDVHS – Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza
– Centro de Direitos Humanos e Educação Popular de Campo Limpo/CDHEP
– CEAP – Centro de Educação e Assessoramento Popular
– CENDHEC – Centro Dom Helder Câmara de Estudos e Ação Social
– Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários do Brasil – UNISOL Brasil
– Centro Brasileiro de Estudos em Saúde – CEBES
– CFEMEA – Centro Feminista de Estudos e Assessoria
– CJP-SP – Comissão de Justiça e Paz de São Paulo
– Comissão de Direitos Humanos do Conselho Federal de Psicologia (CFP)
– Comissão Pastoral da Terra
– Comunidade Bahá’i
– Conectas Direitos Humanos
– Confederação Nacional das Associações de Moradores (Conan)
– Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag)
– Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde (CNTS)
– Conselho de defesa de vida Hebert de Souza
– Conselho Indigenista Missionário – CIMI
– Conselho Nacional de Direitos Humanos
– Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil – CONIC
– Conselho Nacional de Saúde – CNS
– CRIOLA – Organização de Mulheres Negras
– CUT – Central Única dos Trabalhadores
– De Olho nos Planos
– Dom da Terra Afro LGBTI
– Dom da Terra AFROLGBT
– Fala Preta! – Organização de Mulheres Negras
– FASE Nacional – Federação dos Órgãos de Assistência Social e Educacional
– Federação Nacional dos Farmacêuticos (Fenafar)
– FIAN Brasil – Rede de Informação e Ação pelo Direito Humano a se Alimentar
– GAJOP – Gabinete de Assessoria Jurídica às Organizações Populares
– Geledés – Instituto da Mulher Negra
– IBASE
– IDDH – Instituto de Desenvolvimento e Direitos Humanos
– Instituto Alana
– Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas – IBASE
– Instituto de Estudos Socioeconômicos – INESC
– Instituto de Pesquisa e Formação Indígena – Iepé
– Instituto Pólis – Instituto de Estudos, Formação e Assessoria em Políticas Sociais
– Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social
– Justiça Global
– MEB – Movimento de Educação de Base
– MMC – Movimento das Mulheres Camponesas
– MNDH – Movimento Nacional de Direitos Humanos
– Movimento dos atingidos e atingidas por barragens – MAB
– Movimento nacional de meninas e meninos de rua
– MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra
– Outras Palavras
– Oxfam Brasil
– Plataforma Dhesca
– Plataforma Política Social
– Rede de Cooperação Amazônica – RCA
– Rede Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Reprodutivos
– Rede Social de Justiça e Direitos Humanos
– SDDH – Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos
– SMDH – Sociedade Maranhense de Direitos Humanos
– Sociedade Brasileira de Economia Política – SEP
– Terra de Direitos
– Unegro – União de Negras e Negros Pela Igualdade